férias em família







termas széchenyi





szimpla



ellátó







parque das estátuas





castro


está quase a fazer um ano da nossa ida a budapeste. tenho de confessar que sempre que penso em férias, budapeste aparece sempre (não sei se vai ser sempre assim, mas eu e aquela cidade temos uma coisa, ou duas, ou três). este ano não vamos passar férias só os dois, por um conjunto de razões que estão relacionadas com o tempo. com os nossos compromissos. por essas mesmas razões, decidimos dar prevalência à família com quem não poderíamos estar tempo suficiente para matar as saudades (que nunca desaparecem) se fossemos passar férias só os dois. assim, vamos dividir-nos entre o sul de espanha e florença - onde se encontrarão os pais e irmãos do p e os meus e o meu irmão (respectivamente). esta ideia ,que se mostrou logo lógica para os dois, traz um sabor aquilo que é a vida adulta (entenda-se no que tem de melhor) e à noção da família que queremos construir. nem nos passou pela cabeça tirar férias só nós.

apesar de falarmos todos frequentemente e de irmos acompanhando a vida uns dos outros, as saudades começam a pesar ao fim de quase um ano (dois para o p) a viver noutro país. os minutos que falamos parecem nunca ser suficientes. temos saudades dos almoços de domingo. dos risos e das peculiaridades de cada um e não há hábito que o apazígue.

temo-nos um ao outro e encontramos conforto nisso, sem dúvida. mas vocês fazem-nos mesmo falta!

assim deixo esta selecção de fotografias das férias do ano passado para assinalar o felizes que estamos, por este anos não sermos só nós!



portanto, só para dizer a falta que nos fazem e as alegrias que nos dão.


5 comentários:

dondoca disse...

:)

Baudolino disse...

Faz-me bem ler estas letras de quem não está por cá. Eu, que passo a vida a pensar quando será que pomos parte da casa às costas e vamos dar novos mundos ao nosso mundo...
abraço
P.

Ana disse...

E outros a fazer planos para deixar as famílias para trás... =)

x disse...

baudolino:

com as tuas palavras dás «novos mundos ao nosso mundo». e por isso obrigada (por isso e por te fazerem bem as nossas palavras). posso perguntar: porque não? :) .*

ana:
aposto que uns e outros têm por base a doçura, certo?
aparece mais vezes, ficámos felizes com o teu comentário.*

Ana disse...

Eu ia jurar que é mesmo o nosso lendário mau feitio... =)
(e eu venho cá muito)